sexta-feira, 3 de julho de 2009

Prosseguindo.


Sofri muito, mais que merecia
Um segundo é a própria morte nesta agonia
Agora chega
Esperei demais pela maldita resposta
Sabendo que no fundo nunca me escolherias
Com o peito em frangalhos
Olho para além do horizonte
Longe o bastante para que minha mente possa voar
Há de haver um lugar que possa chamar de meu
Agora quero somente começar a andar
Ficar parado neste ponto não mais poderei
Os troféus já foram entregues
Inclusive o meu por ter chegado em último lugar
Fiz tudo que podia e muito mais
Esperei até criar raízes neste solo infértil
Idealizando a infrutífera idéia da felicidade
Todavia cansei
A batalha foi perdida e reconheço minha derrota
Saio do campo de cabeça erguida
Estampando o orgulho de um adulto e não a tristeza de uma criança
Já vou tarde eu sei
A sua escolha sempre esteve bem clara
Fazendo-me de cego
Eu neguei-me a ver o que estava a muito estampado
Lavo meu rosto e seco minha lagrimas
Identificando o fatídico fim
Zerando o peito e começando novamente a rodar.
(Mayara Rosário)

4 comentários:

  1. Lindo blog May...
    vi o link no orkut e estou fazendo uma visita
    bjokas

    ResponderExcluir
  2. Amei o poema amor!
    bjs da sua gostosa

    ResponderExcluir
  3. chorando como sempree que venho aqui !

    ResponderExcluir